FP Scouting

FP Scouting – Andrea Belotti

Haverá poucos países no mundo com uma tradição tão forte na formação de pontas-de-lança de topo como Itália. Neste século, porém, o número de goleadores nascidos na “bota” tem vindo a diminuir drasticamente. Depois do final de carreira de nomes como Pippo Inzaghi, Christian Vieri ou Luca Toni, a Squadra Azurra tem andado numa busca que parece não ter fim por um herdeiro à altura. Em parceria com a Talent Spy, olhamos para o melhor “9” italiano do momento.

Para júbilo dos transalpinos, e especialmente do seleccionador Giampiero Ventura, Andrea Belotti, avançado do Torino, reúne todas as características essenciais para ser uma referência por muitos anos. Sem entrar em comparações com nomes sonantes do passado, é seguro dizer que, pela qualidade e margem de progressão que apresenta, o jovem de 23 anos veio para ficar.

A segunda época de Belotti ao serviço do Torino – foi contratado ao Palermo em 2015 – tem sido simplesmente deslumbrante. Apesar da concorrência de Higuain, Icardi ou Dybala, vai liderando a corrida pelo prémio de Capocannoniere, que distingue o melhor marcador da Serie A. O feito do avançado do Torino, que leva 22 golos apontados, ainda se torna mais impressionante se pensarmos que actua numa equipa bem menos poderosa do que as dos seus rivais directos. Dos 54 golos marcados pelo Torino, 22 foram da autoria do ponta-de-lança, o que diz bem da sua preponderância no conjunto granata.

Fonte: Soccerway

Ainda numa fase prematura da época, quando não se imaginava que pudesse ter um rendimento tão elevado, Andrea Belotti foi chamado à Squadra Azurra e estreou-se pela equipa nacional. Giampiero Ventura trabalhou com o avançado no Torino e conhece perfeitamente as suas qualidades, dando-lhe a possibilidade de se tornar internacional AA (tem um percurso longo nas selecções jovens). Em boa hora o fez.

Ver Belotti jogar é quase uma viagem ao passado. Com uma cultura de movimentos que faz lembrar alguns dos grandes avançados italianos, o jovem de 23 anos apresenta muitas soluções no seu jogo. É especialmente forte na exploração da profundidade, sendo inúmeras vezes solicitado no espaço pelos seus companheiros. Destaca-se pelo timing com que procura a desmarcação e pela forma inteligente como normalmente ganha vantagem, fazendo uma diagonal curta e colocando o corpo à frente do adversário.

Tendo uma capacidade invulgar no jogo aéreo, Belotti é a referência quando a equipa necessita de jogar longo. Sabe utilizar o corpo para se impor, resistindo ao choque e esperando pela chegada de apoios. Além disso, é um avançado com uma postura altamente combativa, tendo, por isso mesmo, um papel importante no processo defensivo.

Não sendo um prodígio em termos técnicos, o avançado do Torino tem todas as competências que um jogador da sua posição deve ter, nomeadamente ao nível do remate. Com um sentido de baliza excepcional e muita agressividade no ataque a zonas de finalização, Belotti consegue antecipar-se e visar a baliza com espontaneidade.

O que distingue o goleador do Torino, porém, é um atributo que não é facilmente perceptível. Podemos chamar-lhe instinto: aquela capacidade de os avançados estarem no sítio certo à hora certa, como se tivessem algum poder de adivinhação. Se pensarmos que essa qualidade se vai aprimorando com o passar dos anos, imagine-se o que poderá ser Belotti daqui a uns tempos.

O “galo”, alcunha que recebeu pela forma como festeja, fazendo uma espécie de crista, pode evoluir na forma como se associa com a restante equipa, contribuindo mais activamente na fase de criação. Não sendo um avançado que se esconda do jogo, sente-se mais confortável quando procura a profundidade e ataca zonas de finalização (o modelo do Torino também acaba por propiciar esse tipo de movimentos).

Ainda jovem, o italiano terá o maior desafio da carreira quando se transferir para um emblema com outras ambições, algo que poderá acontecer já na próxima reabertura do mercado, apesar da cláusula de rescisão de 100 milhões de euros. Habituado a ter muitos metros à sua frente, Belotti terá de provar que consegue adaptar-se a outro tipo de jogo, com menos espaço e maior vigilância. Se mantiver a consistência e regularidade que tem mostrado nesta época,  será cada vez mais um “natural born killer” de referência.

BOA OPÇÃO PARA…

Chelsea FC – Numa altura em que se fala insistentemente de um possível regresso de Diego Costa ao Atlético de Madrid, a transferência de Andrea Belotti para os blues não é uma hipótese irreal. Por motivos óbvios, Conte tem uma ligação próxima com o mercado italiano e as qualidades do ponta-de-lança do Torino certamente não terão passado despercebidas. Com um estilo relativamente semelhante ao de Diego Costa, seria uma aposta interessante do clube e uma escolha inteligente do jogador.

Comments (0)

Entre na discussão