FP Scouting

FP Scouting – Dom Dwyer

Aos 18 anos, os médicos britânicos disseram-lhe que nunca poderia jogar futebol profissional, em resultado de sucessivas fracturas no pé. Hoje, Dom Dwyer é um dos avançados mais prolíferos da Major League Soccer. Conheça melhor o perfil deste goleador nato, através do ‘FP Scouting’, rubrica desenvolvida em colaboração com a Talent Spy.

Dwyer iniciou a sua história como futebolista nas camadas jovens do Norwich City, e foi aí que partiu o pé três vezes. O departamento médico de então desaconselhou fortemente uma carreira profissional, veredicto que levou o avançado britânico a apostar na formação universitária nos EUA. Curiosamente, as lesões crónicas desapareceram em terras norte-americanas, e em 2012, acabou por ser escolhido pelo Sporting Kansas City, no SuperDraft.

Completamente tapado por Teal Bunbury, CJ Sapong e Kei Kamara no ano de estreia, Dwyer apenas começou a ter algum reconhecimento na segunda temporada, altura em que conseguiu ser campeão da MLS e da USL Pro (terceiro escalão) em simultâneo. Titular indiscutível na frente de ataque desde 2014, totaliza 57 golos no conjunto das últimas três épocas disputadas. Ora matematicamente falando, estes números representam uma média de 19 golos por época, registo invejável para qualquer liga do mundo.

Soccerway
Soccerway

Podemos definir o avançado britânico como uma autêntica ‘carraça’, daquelas que não larga nem por nada. A margem de erro das defensivas contrárias reduz drasticamente quando o portentoso Dwyer está em campo, devido às suas acções de pressão constantes, que só terminam com o ruído do apito final. Rápido e com efectiva capacidade de sacrifício, revela-se uma unidade extremamente útil nos momentos de recuperação colectivos.

Dom Dwyer peca somente por não ser um avançado completo. Tem um pé esquerdo fortíssimo e apurado, que ajuda a explicar a sua média de golos.  No entanto, o seu pé direito é apenas razoável, e mesmo a sua arte no cabeceamento pouco impressionante. A fraca qualidade da distribuição no último terço do terreno perfila-se também como um dos seus pontos fracos mais evidentes.

O futebolista do Sporting KC sempre demonstrou interesse em obter dupla-nacionalidade, e a conclusão do seu processo de naturalização está por semanas. Foi esse desejo que levou Dwyer a recusar a proposta apresentada pelo Olympiakos no último Verão. Assim que se tornar elegível para representar a selecção dos Estados Unidos, integrará rapidamente o lote de opções de Jürgen Klinsmann. Campeonato do Mundo de 2018 à vista?

BOA OPÇÃO PARA…

Valerenga IF; Aberdeen FC – A Noruega em geral e o Valerenga IF em particular já tiveram boas experiências com jogadores provenientes da MLS. O conjunto sediado em Oslo procura revitalizar-se, de forma a regressar aos lugares europeus, e Dwyer seria uma óptima opção para render o internacional Mohammed Abdellaoue a partir de 2017. Como o calendário competitivo norte-americano e norueguês coincidem, não existe o risco de se verificar um jet-lag competitivo. Quanto ao Aberdeen, necessita de armas suplementares para se tentar intrometer na luta pelo título que o Celtic tem vindo a conquistar de forma crónica. O avançado irlandês Adam Rooney precisa de séria concorrência no plantel.

CD Nacional – O arranque do emblema madeirense em 2016/17 está longe de ser famoso, e caso o cenário não mude drasticamente nas próximas semanas, o recurso ao mercado de Inverno será uma medida inevitável. A eventual contratação de Dwyer representaria um upgrade de qualidade, dada a sua superioridade qualitativa sobre Nelson Bonilla ou Ricardo Gomes.

dwyer1dwyer2dwyer3dwyer4

Comments (0)

Entre na discussão