Alemanha

RB Leipzig: amar, odiar ou temer?

Comments (2)
  1. Passando à frente a questão da forma como nasceu o Leipzig, devo dizer que fiquei impressionado com a performance da equipa no Bay Arena. Tremenda vitória numa demonstração de grande força futebolística e como verdadeira equipa, na medida em que ao minuto 2 já estavam a perder.

    A forma vertiginosa como atacam, acelerando facilmente quando atingem o meio-campo adversário, e o modo pressionaram sempre o Bayer foi notável! De destacar o Forsberg, sem dúvida, e a pequena sociedade que estabelece com o Werner, com trocas posicionais constantes e que baralham marcações. Depois Keitá é fenomenal no meio-campo: varre tudo e ainda tem qualidade técnica e critério na saída para o ataque. Por fim, a performance da equipa ainda melhorou com a entrada do Burke (aquele escocês por quem pagaram uma pequena fortuna…), que, por comparação com o Poulsen, torna o ataque dos Touros ainda mais móvel e imprevisível.

    A ver vamos onde (e como) vai acabar este impressionante arranque … Bom artigo, Pedro!

    1. Pedro Nunes diz:

      Sem dúvida nenhuma, Filipe.

      Não quis focar este artigo na vertente táctica/técnica mas partilho da tua opinião nesse aspecto.
      A Red Bull não brinca em serviço e este é o melhor exemplo disso. Para além duma capacidade de pescar talento por todo o lado, a equipa conta com uma forma de jogar positiva e vertical, muito boa de seguir. Com jogadores praticamente desconhecidos conseguiram montar uma verdadeira equipa, muito complementar e organizada.

      Muito obrigado pelo comentário e pela apreciação positiva 😉

Entre na discussão